quinta-feira, 19 de março de 2015

Cake - Um Sopro de Vida

CAKE
de Daniel Barnz
com: Jennifer Aniston, Adriana Barraza,
Sam Worthington e Anna Kendrick
Jennifer Aniston está de volta às salas mas desta vez num registo bastante diferente daquele que nos tem vindo a habituar. Cake – Um Sopro de Vida é um drama mais leve que a sua premissa indica, mas não deixa de mesmo assim afirmar-se como um título interessante.

Após ter sido vítima de um acidente de viação, Claire Simmons é perseguida pela dor física e pelas mazelas psicológicas que fizeram dela uma mulher deprimida, amargurada e incapaz de se relacionar com os outros. Quando descobre que Nina, uma “colega” do grupo de apoio que frequenta, cometeu suicídio, fica obcecada em descobrir o porquê de tal acontecimento.

Os dados estariam lançados para um drama potente, um character study fortíssimo ou uma jornada pelo doloroso caminho da depressão se por detrás das câmaras e da máquina de escrever que datilografou o argumento de Cake estivesse um cineasta experiente, capaz de transformar esta premissa numa tempestade de sentimentos que levaria o espectador a viver uma experiência difícil de suportar. Mas acontece que quem assina este filme é Daniel Barnz, realizador que ainda não se conseguiu afirmar no panorama atual do cinema, e um estreante Patrick Tobin na parte do argumento.

Leiam a crítica completa no Espalha-Factos

1 comentário:

  1. "Cake: Um Sopro de Vida" é um filme com uma história interessante, mas não me cativou tanto quanto pensei que fosse fazer. É demasiado lento, demasiado monótono e demasiado grande.
    "Cake" é um filme de drama, mas por vezes o seu tom é demasiado dramático. Jennifer Aniston teve um grande desempenho, mas Adriana Barraza não esteve nada mal também e foram os seus desempenhos que me interessaram nesta película monótona.
    3*
    Cumprimentos.
    FD.

    ResponderEliminar