terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Invencível

UNBROKEN
de Angelina Jolie
com: Jack O’Connell, Domhnall Gleeson,
Takamasa Ishihara e Finn Wittrock
Angelina Jolie volta a sentar-se na cadeira de realizadora para nos trazer um história inacreditavelmente inspiradora sobre a esperança e a força humana: Invencível.

Tal como muitos filmes deste género, que pegam na vida de grandes personalidades e transportam-nas para o grande ecrã, fica a impressão de que a história de Louis Zamperini merecia uma longa-metragem mais completa, mesmo tendo em consideração que os inúmeros e extraordinários episódios que viveu dificilmente iriam ter uma obra à sua altura. Senão vejam.

Zamperini foi um atleta olímpico nos anos 30, que participou nos Jogos de Berlim em 1936, mas quis o destino que o velocista fosse para o exército. Em plena II Guerra Mundial, o seu bombardeiro despenhou-se no Pacífico, onde ficou à deriva durante 47 dias, até ter sido capturado pelos japoneses e ter sido enviado para um campo de concentração.

É, portanto, uma história que dificilmente seria totalmente bem adaptada ao cinema e o filme que nela pegasse nunca lhe faria justiça. Angelina Jolie parece perceber isso e não tenta fazer de Invencível um épico de guerra, cheio de diálogos forçados ou a sobrevalorização de momentos mais comoventes. A fita está, aliás, muito bem ritmada (a gestão dos momentos mais fortes com os comic reliefs é perfeita), mantendo-se séria e plausível, pegando nos muitos clichés dos biopics tradicionais e transformando-os inteligentemente em cenas muito boas.

Leiam a crítica na íntegra no Espalha-Factos

Sem comentários:

Enviar um comentário