domingo, 14 de dezembro de 2014

Grand Budapest Hotel

THE GRAND
BUDAPEST HOTEL

de Wes Anderson
com: Ralph Fiennes, Tony Revolori,
F. Murray Abraham, Edward Norton, Jude Law,
Tilda Swinton, Saoirse Ronan, Willem Dafoe,
Adrien Brody, Bill Murray e Harvey Keitel
Durante os próximos dias irei escrever pequenas críticas (um ou dois parágrafos) sobre os melhores filmes que perdi este ano aquando da sua data de estreia. Hoje vou falar de Grand Budapest Hotel.

Foi sem dúvida um dos filmes que mais tristeza me causou por tê-lo perdido quando estava nas salas. Grand Budapest Hotel, devido às suas belíssimas imagens (produto da simetria, da fotografia e dos adoráveis planos da fita), merece ser visto no grande ecrã. Não precisa de enormes e dispendiosos efeitos especiais ou da ganância de tri-dimensionar inutilmente todos os minutos da fita, pois tem em cada cenário e em cada cena algo de muito característico que as fazem únicas. E isso é a magia do universo de Wes Anderson. Uma magia que nasce nas imagens e prolonga-se até à história. Grand Budapest Hotel não foge à regra e oferece uma narrativa deliciosamente contada, que junta mistério, amor, acção... Tudo! E o humor leve mas ao mesmo tempo negro de Anderson paira em todos os diálogos, graças a um brilhante argumento (que consegue despertar todo o tipo de emoções) dito por uma dúzia de grandes personagens interpretadas por outros tantos magníficos actores. E por muito difícil que seja destacar um só, há que salientar Ralph Fiennes no papel do charmoso e peculiar Gustave H, numa performance que prova bem a sua versatilidade. Ficamos agora à espera do próximo trabalho de Wes Anderson, que com Grand Budapest Hotel demonstra querer (e conseguir) superar-se a cada filme que faz.

9/10

Sem comentários:

Enviar um comentário