terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Comic Con Portugal, pelos olhos do Ricardo Araújo


Ponto de encontro de nerds, o maior evento de popculture, Comic Con Portugal... não importa o nome que damos a este evento pois foi um dos acontecimentos mais fantásticos que eu já tive o prazer de testemunhar. Claro sendo eu um nerd com todo o meu coração esta descrição pode estar aberta a discussão. De qualquer maneira, agora com uns olhos mais objectivos, conto como realmente foi a Comic Con.

Para quem não sabe, a Comic-Con não é algo novo: é um evento que se realiza todos os anos, onde fanáticos, não só por comics (BD) mas também mangá, vídeo jogos, etc., se reúnem para partilhar ideias, mostrar os seus cosplays, comprar merchandising, experimentar novos jogos, conhecer pessoas, aprender novas coisas. Concluindo, é um lugar onde as pessoas partilham o seu amor pelas suas personagens/histórias favoritas.


Agora como é que a nossa Comic Con se compara a outras espalhadas pelo globo? Bem.... não foi perfeita. Tenho que admitir que a organização não era 5 estrelas, as palestras não eram as mais interessantes, e os convidados, embora interessantes, deixaram um bocado a desejar por alguém mais importante.

OK.... Então valeu a pena? CLARO. Foi algo inesquecível. Embora todos os pontos referidos em cima sejam verdade não são, de todo, dealbreakers. A organização foi a necessária, as palestras decerto foram excitantes a quem tirou proveito delas (embora não muitos) e os convidados foram interessantes, no mínimo. E de bom o que lá havia?

Por onde começar... Primeiro, acho que a melhor parte foi sem dúvida a atmosfera lá dentro. Nunca tinha estado num lugar onde se realmente leva a sério este tipo de coisas. Andávamos pelos corredores e as conversas paralelas eram sobre que super herói derrotaria qual, que anime alguém deveria ver a seguir, quanto é que se devia gastar numa réplica da mascara do Joker (inimigo do Batman) e a lista continua.


Outro ponto forte foi a zona de merchandising: um armazém inteiro de lojas de manga, vídeo jogos, jogos de tabuleiro, peluches, t-shirts, comida japonesa, periféricos para o computador, réplicas, e porta chaves.... tantos porta chaves! Embora os preços não tenham sido os mais baixos (até acho que alguns estavam mais altos do que o normal) é verdade que havia lá coisas que seriam quase impossíveis de encontrar sem ser lá. Será que gastei mas do que devia? Bem.... depende da definição de muito dinheiro que deve ser gasto em coisas deste género. Arrependi-me de as comprar? Não... aliás, até me arrependo de não ter comprado alguns objectos. A escolha de produtos era enorme. Com bastante variação para cada tema. E se crias a expectativa de alguma coisa de certeza que a encontras. A não ser que já esteja esgotado.

Em conclusão, os seus problemas podem ser desculpados pelo facto de esta ser a 1º edição em Portugal. E visto que este foi o maior evento de pop culture no nosso país (sem contar se calhar com o IberAnime, que se foca só em anime) é só de esperar que a próxima edição da Comic Con vá ser muito melhor.  E se esta já foi espectacular, a próxima vai ser inimaginavelmente incrível. E já sabem quem vai participar nessa.

Sem comentários:

Enviar um comentário