quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Cornos

HORNS
de Alexandre Aja
com: Daniel Radcliffe, Max Minghella, Juno Temple
e Joe Anderson
Daniel Radcliffe voltou ao género da fantasia, desta vez ao seu lado mais obscuro e… irritante. Cornos é um título que poderia ser fascinante mas o seu exagerado sentido de humor torna a sua visualização cansativa e desconfortável. Estreia hoje em Portugal.

Ig acabou de perder o amor da sua vida após Merrin ter sido brutalmente assassinada. Perseguido pela imprensa e acusado de ter cometido o crime, Ig ganha inexplicavelmente um par de cornos na testa. Ao início pode soar um pouco estranho ver um par de cornos a nascer do nada na cabeça do herói do filme. Mas a verdade é que esses dois novos constituintes da anatomia de Ig acabam por ser muito interessantes e ao mesmo tempo assustadores, sem nunca (ou quase nunca) se tornarem risíveis, oferecendo inclusivamente um grande tom de originalidade à personagem principal de Cornos.

Esta particularidade do protagonista era claramente um bom ponto de partida para uma longa-metragem cativante que transportasse o género do fantástico até ao século XXI em tom de crítica à nossa sociedade. E há uma intenção óbvia de fazer essa crítica expondo por vezes a forma como as pessoas tendem em esconder o que realmente sentem e a paranóia dos media em cobrir exageradamente os acontecimentos mais escandalosos. Mas aquilo que nos primeiros momentos do filme ainda consegue ser minimamente tolerável vai ficando progressivamente mais idiota.

Podem ler a crítica completa no Espalha-Factos

Sem comentários:

Enviar um comentário