sábado, 8 de novembro de 2014

Attila Marcel

ATTILA MARCEL
de Sylvain Chomet
com: Guillaume Gouix, Anne Le Ny, Bernadette Lafont,
Hélène Vincent, Luis Rego e Fanny Touron
A Festa do Cinema Francês aterrou agora nas Caldas da Rainha e a sua primeira sessão foi Attila Marcel, um filme simples e delicado mas ao mesmo tempo surpreendente graças ao seu ambiente invulgar.

Attila Marcel parece ser mais um daqueles dramas ligeiros cuja narrativa lenta pode impossibilitar um maior interesse pela sua história. E, de facto, não se pode afirmar que o seu ritmo seja muito acelerado, havendo inclusivamente algumas cenas aborrecidas. Mesmo assim, o filme acaba por compensar a sua “lentidão” com meia dúzia de personagens bastante engraçadas e caricatas que vão protagonizando uma série de situações ora mais comoventes ora mais cómicas, vividas em cenários muito bem construídos, cheios de cor e objetos bizarros e, ao mesmo tempo, cativantes.

Sylvain Chomet, mais conhecido pelos seus trabalhos no cinema de animação, assinou não só a realização mas também o argumento de Attila Marcel, conseguindo conjugar eficazmente a originalidade dos seus planos mais ambiciosos com alguns dos seus diálogos mais profundos. Por vezes, há que admitir, Chomet toma decisões menos acertadas na construção do seu trabalho, como quando, por breves momentos, deslocou o foco da história de Paul para Madame Proust sem que muito o justificasse, e perde-se facilmente o interesse no filme.

A crítica completa encontra-se no Espalha-Factos

Sem comentários:

Enviar um comentário