sábado, 25 de outubro de 2014

Frank

FRANK
de Lenny Abrahamson
com: Domhnall Gleeson, Michael Fassbender,
Maggie Gyllenhaal e Scoot McNairy
Um dos títulos mais curiosos e interessantes do ano tem o nome de uma das personagem mais originais dos últimos tempos: Frank.

Quem é Frank? É um músico extremamente talentoso com uma particularidade: usa uma máscara de cartão (semelhante à do músico  Frank Sidebottom) que se recusa a tirar. Mas mesmo sem lhe vermos a cara, é impossível não nos revermos na suas acções. Frank é uma das personagens mais bem construídas e universais do cinema actual, reunindo tantas características do ser humano que poucos serão os que não se irão identificar com ele, tanto nos momentos mais cómicos e animados como nos mais dramáticos e profundos.

A ele se juntam mais meia dúzia de personagens bastante peculiares mas também elas incrivelmente genuínas. Jon é uma delas, um rapaz aspirante a música que entra na banda de Frank, os Soronprfbs, e com ele vai iniciar uma jornada absolutamente maluca e bizarra, começando a ter um papel fundamental no caminho da banda até ao sucesso. É através de Jon que o realizador Lenny Abrahamson demonstra ainda o poder das redes sociais, arma essencial para levar os Soronprfbs até às luzes da ribalta.

Mais que um grande retrato do comportamento e das relações humanas, Frank é também uma grande obra de entretenimento, repleta de momentos recheados de humor negro passados num ambiente muito característico. O argumento, para além de conseguir ser sensível e em algumas partes bastante comovente, tem também passagens hilariantes. Já os cenários decorados com muitos objectos bizarros (que por vezes são demasiados...) e a simples caracterização de cada personagem fazem com que cada cena seja única. A isto junta-se uma banda sonora peculiar, cheia de sons, melodias e letras particulares que originam temas fantásticos.

Michael Fassbender, mesmo sem mostrar a sua cara durante 95% do filme, consegue transmitir com a sua mímica e maneira de falar uma panóplia de emoções, naquela que é uma das performances mais interessantes da sua carreira. Domhnall Gleeson não lhe fica nada atrás, e ao dar vida a Jon oferece uma prestação excelente e delicada. Maggie Gyllenhaal e Scoot McNairy, em papéis mais secundários, também dão provas do seu talento e são protagonistas de algumas das cenas mais memoráveis da película.

É o próximo filme de culto, dado que a sua história e personagens invulgares não conseguirão ser do agrado do grande público. Mas aqueles que conseguirem apanhar a mensagem desta obra e perceberem que consegue entreter mais que tantas outras longas-metragens que por aí aparecem sem qualquer originalidade ou autenticidade, irão certamente adorar Frank, uma das maiores surpresas do ano.

8/10

Sem comentários:

Enviar um comentário