quinta-feira, 1 de maio de 2014

Hércules: A Lenda Começa

File:Hercules (2014 film) poster.jpg
THE LEGEND OF HERCULES
de Renny Harlin
com: Kellan Lutz, Liam McIntyre, Gaia Weiss,
Scott Adkins e Liam Garrigan
Estreia hoje nas salas portuguesas mais uma adaptação hollywoodesca de uma história mítica da mitologia grega. E, como quase todas as tentativas anteriores, o resultado é desastroso.

A vida de Hércules já é conhecida. O semi-deus, encarnado aqui por Kellan Lutz, é invencível e tem como missão proteger os gregos da ira de seu pai e irmão. A grande motivação de Hércules é Hebe (Gaia Weiss), princesa de Creta, a quem prometeu amar eternamente mas que se encontra em perigo nas mãos de Iphicles (Liam Garrigan), irmão do herói grego.

O início deste Hércules: A Lenda Começa é um aviso para o que vai ser todo o filme. Uma cena de ação muito pobre abraçada a meia dúzia de atores musculados e suados a gritar só porque sim não é propriamente a melhor forma de começar uma longa-metragem que se quer, como a personagem principal, épica.

O enredo em si mais parece sair de um artigo da Wikipedia. Nem argumentistas nem realizador quiseram ter um pingo de originalidade e Hércules: A Lenda Começa tornou-se demasiado previsível, demasiado aborrecido e demasiado doloroso de ver.

As interpretações também deixam muito a desejar. Kellan Lutz tem sempre a mesma cara, quer seja para ouvir a notícia da morte da mãe quer seja para dar forças a um exército inteiro, o que não é muito aconselhável a quem encarna o mítico Hércules. Gaia Weiss perdeu-se muito num over-acting irritante, sempre a querer ir além das suas possibilidades o que culminou com uma performance muito pobre.

Hércules foi um semi-deus, e a mais recente longa-metragem a retratar a sua vida mais parece um semi-filme. Recheado de efeitos visuais de bradar aos céus, interpretações muito más e uma realização desastrosa de Renny Harlin, Hércules: A Lenda Começa tem lugar no Olimpo dos piores filmes.

1/10


Sem comentários:

Enviar um comentário