sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A História do Cinema: Uma Odisseia

No mais fascinante e abrangente documentário sobre o cinema, Mark Cousins realizou aquilo que qualquer cinéfilo deve ter em casa: A História do Cinema: Uma Odisseia

THE STORY OF FILM:
AN ODISSEY

de Mark Cousins
Após anos de recolha de informação e algumas dificuldades na produção do seu projecto, Mark Cousins conseguiu finalmente em 2011 apresentar A História do Cinema: Uma Odisseia, o seu documentário de 15 horas sobre o cinema, ao mundo, através da televisão. Em Portugal, apenas estreou em 2013, em DVD e em 8 sessões de uma hora cada. Mas valeu a pena a espera.

Ao contrário de muitos documentários sobre o cinema, Cousins não se fixa apenas em Hollywwod nem no neo-realismo italiano nem na Nova Vaga francesa. Passando pelos já referidos, A História do Cinema conta com centenas de filmes analisados, de todas as partes do mundo, desde os EUA e Europa até ao cinema africano e ainda os grandes filmes da Ásia. Começando nos finais do séc. XIX, com os irmãos Lumière, e acabando com um epílogo de como o cinema poderá vir a ser em 2046. Couins entrevistou muitas das maiores personalidades do cinema mundial, das mais conhecidas às mais reservadas, e passou por dezenas de sítios onde foram feitos verdadeiros clássicos de cinema.

Seria de esperar que as suas 15 horas fizessem de A História do Cinema um documentário massudo e aborrecido. Mas, devido aos imensos excertos de filmes e a própria forma calma de narrar de Cousins, o crítico irlandês faz essas 15 horas voarem facilmente. E, se retirarmos os excertos de filmes à A História do Cinema, podemos observar que Cousins é já por si um realizador interessante, que utiliza inúmeras metáforas e técnicas de filmagem muito diferentes umas das outras, como se, para além do documentário, estivesse também a fazer um filme experimental.

Mas há alguns pontos negativos no documentário. Cousins mostra muitas vezes os momentos finais dos filmes analisados, tirando a água da boca daqueles que ficariam interessados em ver o filme x. Para além disso, Cousins é por vezes demasiado subjectivo nas suas intervenções, tirando um pouco a universalidade que A História do Cinema deveria ter. Acho que incluir Baz Luhrmann neste documentário é ir um pouco longe demais.

Mesmo assim A História do Cinema: Uma Odisseia é um excelente e inovador documentário, que deveria ser exibido em qualquer aula de cinema. Qualquer cinéfilo fica rendido à obra de Mark Cousins e todos os realizadores referidos no filme deveriam ficar orgulhosos por terem o seu nome neste documentário (especialmente Baz Luhrmann...).

««««««««««

Sem comentários:

Enviar um comentário